MindSet da Conjugalidade – Wookbook IV

Para existir conjugalidade funcional é preciso que os parceiros da relação entendam que podem até andar falando o que bem entendem, ao tempo que não pode se posicionar com uma mentalidade que não se expressa, que seja radicalmente fixa, pois a voz não determina a mentalidade, mas a mentalidade determina a fala. Então existe uma diferença entre voz e fala: na voz tem-se apenas som, na fala tem-se o significado, o sentido.

A meu ver, só é possível haver conjugalidade quando a mentalidade permite aos parceiros se posicionarem em pertencimento e acontecimento, ou seja, é preciso pertencer e acontecer; quando uma pessoa fica numa relação sem se sentir pertencente ao parceiro, tem-se aí uma posição de psicodependência afetiva, ou uma subjugação perversa de uma dependência material [normalmente financeira].